Guia rápido de apps Android para quem acabou de chegar do iPhone

Sexta-feira, por algum tipo de conjunção astral, só pode, aconteceu uma coisa bizarra. Três usuários de iPhone vieram me perguntar o que eu estava achando do meu Android — estou com um Galaxy S7 já tem alguns meses. Uma das pessoas inclusive eu jamais poderia imaginar: é o tipo de cara que zoava fortemente quem não tinha iPhone. (seu nome será mantido em segredo) Os motivos de todos basicamente giravam em torno do tema “o iPhone está muito caro e já não oferece tanto diferencial assim”.

Hoje um deles me mandou uma mensagem “mudei!” e pediu dicas de apps. Segue a lista, sem nenhuma ordem em especial. A real é que a maioria dos apps hoje em dia estão disponíveis nas duas plataformas, então vou focar só em coisas que substituem apps que só tem pra iOS (esnobes) e apps que mostram coisas que só dá pra fazer no Android.
Antes uma primeira dica: ao contrário do iOS, no Android você pode instalar os apps direto do site Google Play. Então é só acessar os links abaixo e clicar o botão Instalar direto no navegador.

MX Player
Apenas o melhor player de mídia do universo. Entre 2013 e 2014 usei Android por um ano e esse foi o app de que mais senti falta quando voltei pra maçã. No melhor estilo Android, jogue qualquer arquivo — ele toca qualquer formato de audio ou vídeo e tem suporte a legenda — que ele toca para você. No iOS as coisas seriam um pouquinho mais complicadas, já que lá os apps (nem o usuário) tem acesso direto ao sistema de arquivos do telefone.
O grande diferencial dele é uma interface apenas genial, baseada em deslizar o dedo por partes da tela para: adiantar ou voltar o vídeo, aumentar ou diminuir o volume do som e o brilho da tela. Além disso tem uma função indispensável pra quem tem filhos pequenos ou simplesmente esbarra muito na tela: um botão que trava a tela para qualquer tipo de toque.
É grátis mas tem versão paga. Apenas pague.

mx

Facebook Hello
É prata da casa e, sinceramente, não é atualizado tem mais de 1 ano. Só que ele serve muito bem pra você entender coisas que fazem muita diferença no Android quando comparamos com o iOS:

1) Os apps tem muito mais integração com outros apps e o sistema operacional, podendo conversar entre si.

2) Não gostou de alguma coisa no telefone? É só trocar. Não gostou da página inicial do telefone, a tela onde você escolhe o app que vai abrir? Pode trocar. Ou, nesse caso, não gostou da app que faz ligações telefônicas? É só trocar.

O Hello substitui seu “discador” e oferece uma funcionalidade bem útil: ele é um identificador de chamadas que usa os dados do Facebook para saber quem está ligando. Se a pessoa que está ligando já está na sua agenda, beleza, ele mostra os dados da sua agenda. Mas e se for um número desconhecido? Nesse caso o Hello entra em contato com o Facebook perguntando se alguém é dono daquele número — e optou por compartilhar essa informação com o mundo. Encontrando a pessoa ele mostra não só o nome como a foto, local de trabalho, etc. Já me salvou de umas situações de não atender ligações importantes só porque a pessoa não estava na agenda.

Grátis
hello

Pocket Casts
É o programa que uso para ouvir podcasts. É pago, mas o argumento que me convenceu a comprá-lo foi “tão bonito que nem parece app de Android!”. 😛

Tem uma interface bem amigável, incluindo funções indispensáveis para mim: adiantar ou recuar em alguns segundos o programa ao toque de um botão e controlar a velocidade de reprodução. Essas funcionalidades são meio que padrão hoje em dia, mas bizarramente não estão na versão iOS do Pocket Casts.

R$ 7,99

pocket

ES File Explorer
Já falei que no Android você consegue acessar os arquivos do seu telefone como um dispositivo de armazenamento qualquer? Nada das ilhas muradas da Apple. Então o ES File Explorer é o programa que eu uso para organizar as coisas, como apagar arquivos que não quero mais, mover coisas de lugar (incluindo o cartão de memória) ou simplesmente poder dizer os arquivos são meus, sou maior de idade, vacinado e devo ter acesso a eles! Talvez a galera mais veterana do droid conheça melhores, se for o caso é só avisar.

Ah! Ele também tem funções de compartilhamento de arquivos via outros apps, wifi ou bluetooth. Você pode não só mandar arquivos para outros dispositivos como acessar aquela pasta do computador que compartilhou pela rede. Ele também ajuda você a visualizar quais arquivos estão ocupando espaço na sua memória, mas pra isso eu tenho outra sugestão.

Grátis

ez

DiskUsage
Pqp, como assim acabou o espaço do meu telefone!!! Quem nunca, não é mesmo?
Não é o app mais lindo do mundo (nenhum é, conforme-se) mas cumpre a tarefa: mostra quais pastas, sub-pastas… e arquivos mais comem espaço no seu telefone, ajudando na decisão de qual app desinstalar para abrir espaço para a playlist sertanejona do Spotify.

Grátis

Gerenciador de Dispositivos
Esse é de utilidade pública: o equivalente Android ao “find my iPhone”. Esse app na verdade serve para você achar e gerenciar os seus dispositivos, mas rodar uma primeira vez vai garantir que ele está bem configurado. Você também pode controlar seus dispositivos direto pelo seu navegador.

Grátis

gerenciador

Como eu costumo dizer, se você se acha nerd você tem que ter Android, pelo controle muito maior que tem sobre seu telefone. Tem também o fator (que Apple-lovers transformam em desvantagem) de que tem um Android pra cada gosto e tamanho de bolso. Isso pode confundir na hora de comprar, mas gasta um tempinho e acha o que você curte. E se quiser ficar no iPhone, tudo bem, continuamos chapas mesmo assim. Eu tenho até amigo que usa.

Os Vingadores The Avengers (ou Os Vingadorestheavengers): o melhor e o pior filme de super-heróis da história

Em 2012: o melhor
Em 1978…

Sim, é fake, pero no mucho, já que o Capitão América realmente já teve esta versão motoqueira e o Thor já apareceu na série do Hulk com o Lou Ferrigno. O Homem de Ferro na verdade é o Exo-Man, um “longa-metragem que deu origem à série” (que nunca virou série) que me botou um baita medo quando eu era criança pequena na Ilha do Governador.

6 usos criativos da sua escada, se você tiver uma hoje em dia

Morar em uma casa de dois andares no Rio e São Paulo está virando quase que uma coisa do passado, junto com mimeógrafo e bonde elétrico. Ou, claro, coisa de gente bem rica. Pelo menos no resto do país ainda dá pra meros mortais terem aquela bela casa com mais de um andar. Se este você está em um destes casos aqui vão 7 maneiras divertidas de usar o espaço “perdido” da escada.

Gaveteiro, aqui, aqui e aqui:

Passagem secreta:

Estante de livros

Prateleira porta-trecos: