Papo do Unplanned sobre o SxSWi 2013

Ontem eu, Patrice Lamiral, Franklin Costa e André Foresti fizemos um hangoutzim sobre nossa experiência sobre o SxSW Interactive 2013. Ou pelo menos as partes onde estávamos sóbrios e lembramos.

No início do vídeo minha webcâmera não estava configurada direito mas depois eu conserto e você pode ver tranquilamente minha cara de cansado.

Estamos mudando o significado das cores?

Os hospitais de antigamente eram todos brancos, das paredes às roupas dos funcionários, para demonstrar limpeza. Até que alguém resolveu que verde era uma cor melhor, calmante e até certas capacidades curativas. Mas depois de tantos anos será que não estamos dando ao verde a mesma característica opressora-doente e a tornando a “cor de hospital”?

Por que as eleições americanas são mais legais que as nossas?

Hoje é dia de eleição nos EUA e, apesar de nem ter lido tanto assim sobre a campanha, acabei consumindo mais coisas sobre as eleições de lá do que sobre as eleições daqui. (obs: como ainda não transferi meu título para São Paulo não voto em nenhuma das duas eleições)

Daí naqueles momentos filosofais dentro do ônibus fiquei me perguntando porque gostei esse interesse maior pelas coisas lá de longe. E venho por meio desta compartilhar minha resposta.

Não importa o resultado das eleições americanas o impacto para nós aqui abaixo da Linha do Equador vai ser indireto na maioria esmagadoras das vezes. Eles vão mudar suas políticas lá, isso vai mexer no câmbio, no tempo de espera pra tirar um visto de turista, até mesmo nas ofertas de emprego mas as leis, políticas e acordos são de lá e não daqui. Eleição para prefeito é o oposto exato disso. Como tanto se fala a cada quatro anos, você vive na cidade e não no estado ou país e por isso o prefeito é o executivo de governo que mais vai impactar sua vida.

Portanto é exatamente por isso que eu me interesso mais pelas eleições americanas. Elas são ricas (literalmente), disputadas, com táticas e manobras, com partidários inflamados dos dois lados — mas são de mentirinha. Pra gente no Brasil, claro, mas são de mentirinha. São tão emocionalmente distantes quanto um final de temporada de Guerra dos Tronos ou o episódio 100 de Avenida Brasil. E para completar ainda tem um vilão macabro que você tem certeza que não vai dar certo se for eleito mas os personagens, ops, eleitores não conseguem ver isso e apóiam loucamente o cara com 45% das intenções de voto.

Quantas emoções!

Chato ou introvertido?

A Super fez um infográfico-quiz que diz descobrir “que tipo de chato você é”. Divertido, sem compromisso, aquelas coisas.

O problema é que ele tem perguntas que confundem uma pessoa chata com uma pessoa introvertida.Tipo “O que acontece quando você se aproxima de um grupo?”, que tem como uma das respostas “Fico quieto, prefiro ouvir os outros”. Ou “Quando a professora passava um trabalho em grupo na escola, você:” tendo “Preferia fazer sozinho pra não ter erro” na resposta.

Será essa mais uma prova de como nossa sociedade acha que ser extrovertido é sempre certo e ser introvertido é sempre errado? Ou sou eu vendo essa questão em tudo que é lugar?

Só reforçando, não estou aqui indignaaaaaaaado com a Super, falando “mas que absurdo, que preconceito, que deselegante!”. Eu estou é levantando a proverbial lebre para que você, introvertido ou extrovertido, comece a ver por aí essa mania da nossa cultura.

Ah, meu tipo de chato? É arrogante.

Cães são extrovertidos, gatos são introvertidos e, por isso, vilanizados?

Estou lendo o livro Quiet, sobre pessoas introvertidas e a autora usa o primeiro capítulo para atacar a “cultura dos extrovertidos” que os EUA puxou e o Brasil, óbvio, imitou. Me toquei agora que esse é um motivo por que tanta gente vilaniza gatos e a-do-ra cães. A grande reclamação dos gatos é que eles são na deles, enquanto os cães idolatram o dono, são brincalhões, agitados, etc. Daí nascem rapidamente as histórias dos donos de cães que morrem e seus cachorrinhos ligam para a polícia enquanto os gatos comeram a cara do dono morto por falta de comida. Uma fofura.

Por isso a pergunta: no ideal de que todas as pessoas devem ser comunicativas, agitadas, falantes, de caráter exuberante… os gatos não acabam levando a culpa por serem simplesmente introvertidos?