O fim da Era Felipe Melo

Por enquanto tudo que eu tenho a blogar é relembrar esse vídeo de 11 de maio. A culpa, claro, não é toda do Felipe Melo. Mas se em toda Copa a gente procura símbolos…


Mais um motivo para amar o futebol: a Fox News odeia

“Não importa quantas celebridades o apoiam, quantos bares abrem mais cedo, quantos comerciais de cerveja eles veiculam, nós não queremos a Copa do Mundo, nós não gostamos da Copa do Mundo, não gostamos do futebol e não queremos ter nada a ver com isso”, declarou Glenn Beck, cuja opinião tem vaga cativa na Fox News, canal que sustentou a ferro e fogo a gestão do republicano George W. Bush e é opositora ao governo democrata de Barack Obama.

(…)

A fúria da direita também se sente na voz elitista de Dan Gainor, analista do Media Research Center. “O futebol é um jogo de pobre. A esquerda está impondo o ensino de futebol nas escolas americanas, porque a América está ficando bronzeada”, escreveu, associando a popularidade do futebol acima do rio Grande com a crescente migração dos mexicanos para os EUA.

Dica do @phenriq.


A Copa do Twitter

(e do iPhone e do DJ Cremoso!)

Nas últimas duas copas comentei os jogos intensamente aqui no blog. Na de 2006 então tentei comentar todos os jogos, já que trabalhava em casa, na minha própria empresa e podia me dar essas molezas.

Já em 2010 não me dou ao trabalho de comentar nem os jogos do Braza — não que a seleção do Dunga seja digna de muuuuitos comentários. O Twitter é o canal de comentários. A brincadeira é instantânea, os comentários e as respostas chegam na hora. A coisa no Twitter é tão mais exponencialmente acelerada que até no Galvão e na Veja a galera chegou.

E por falar em novos formatos, se eu não estivesse trabalhando no Palpita Brasil talvez arriscasse de fazer um vlog da copa. Quem sabe fica pras eleições?


O que Michael Phelps devia ter dito

Dear America,

I take it back. I don’t apologize.

Because you know what? It’s none of your goddamned business. I work my ass off 10 months a year. It’s that hard work that gave you all those gooey feelings of patriotism last summer. If during my brief window of down time I want to relax, enjoy myself, and partake of a substance that’s a hell of a lot less bad for me than alcohol, tobacco, or, frankly, most of the prescription drugs most of you are taking, well, you can spare me the lecture.

Continua aqui.

6 Feb 2009, 20 comentários.
:: Esportes

O centésimo da vitória

Os centésimos finais da incrível chegada de Maicon Phelps no 100 metros borboleta, quadro-a-quadro.


Tricolores: decisão por pênaltis não é loteria, OK?

Ontem eu torci pelo título do Fluminense. Não tenho nenhum amigo equatoriano e tenho alguns amigos tricolores (todos ricos, chiques e famosos, claro, membros da mais alta aristocracia carioca). Mas agora que o time perdeu o título da Libertadores já começou o pessoal a dizer que “poxa, perder nos pênaltis é azar”. Peralá, não é não.

O Brian Barbutti resumiu bem o que aconteceu. O Flu botou pressão para fazer os gols de que precisava (principalmente depois de tomar um logo no início) e quando saiu o terceiro relaxaram. “Puxa… fiz a minha parte… Ufa…” Na prorrogação já estavam tocando a bola de lado, enrolando nas cobranças, prontinhos para ir para os penais. Provavelmente acreditavam que estavam predestinados a levar o título.

Então não venham com papo de pênaltis-loteria. A disputa pode até ter um quê de sorte, principalmente quando o goleiro escolhe o canto onde vai pular (os dois goleiros fizeram isso). Mas quando você bate um pênalti no meio do gol, rasteiro, o certo é você perder. Sem chororô. O time jogou muito bem nos 90 minutos e depois morreu na praia. Também não adianta ficar dizendo que o goleiro deles (que jogou contundido e teve participação direta nos 3 gols do Flu) é malandro. O RLY? Malandragem faz parte do jogo, ainda não aprenderam?

Pontanto meu parabéns e abraços ficam só ao amigos tricolores que viveram ontem o dia mais importante da sua vida futebolística. Mas agora saiam da frente porque é Mengão rumo ao hexa.

3 Jul 2008, 9 comentários.
:: Esportes

A melhor maneira de acompanhar a Fórmula 1 (e qualquer outro evento ao vivo)

Quando a Internet apareceu os tais especialistas, preocupadíssimos, avisaram que o computador ia nos deixar cada vez mais isolados. A geração do “não sei o nome do meu vizinho” seria consolidada e viveríamos grudados na frente da tela. Como se o fato de uma pessoa morar ao meu lado fosse mais importante do que, por exemplo, seu gosto musical ou preferência política.

Só que com o aparecimento das redes sociais as pessoas acabaram usando a Internet para consolidar seus relacionamentos offline, nem que seja para conhecer novas pessoas com interesses parecidos, amigos dos seus amigos. Se você não pode se encontrar sempre com sua galera para algum evento pode hoje cada vez mais usar ferramentas online para se divertir com eles. Se você mora em um cantão da cidade ou do país onde mais ninguém gosta daquilo que você adora pode literalmente encontrar sua turma por aí, online.

É o que deve acontecer amanhã durante o GP da França de Fórmula 1, quando a galera do Twitter deve se “encontrar” mais uma vez para comentar em tempo real a corrida. Foi o que aconteceu 2 semanas atrás durante o GP do Canadá, que por si só já foi uma das corridas mais emocionantes do ano e que com o uso “sala de chat” do Twitter e ferramentas como o Summize aumentaram a dose de diversão da corrida. (Continua…)


© 2000-2014 Cristiano Dias. Alguns direitos reservados. Só alguns, não se preocupe.
Based on a tbeseda & 5ThirtyOne design. doismidela primeraza
RSS