Vem aí mais uma geração perdida. A Clara, por exemplo, começou no ensino fundamental essa semana e está adorando. Adorando! Onde já se viu isso, criança gostar de ir pra escola! E fica pior: hoje tem aula de educação física e ela está empolgadíssima.

Realmente o governo bota alguma coisa na água para mexer com a mente de nossos filhos.

Viagem ao mundo dos sonhos vinte-e-poucos anos depois

Ontem paramos para ver Explorers — Viagem ao mundo dos sonhos, um filme importantíssimo do meu repertório Sessão da Tarde que me veio muito à cabeça quando vi Super 8. (vimos na Netflix, não nessa versão pirata). O divertido não é ver Ethan Hawke e River Phoenix moleques. É ver que o filme é dublado pelo Selton e Danton Melo moleques.

Resistiu bem à Regra dos 15 anos pra mim, apesar de a mulherada ter capotado no sono no meio e o final ter ficado pra hoje.

Clarinha vendo “Luke eu sou seu pai” pela primeira vez

Munidos do bluray de Guerra nas Estrelas começamos esse fim-de-semana a ver a trilogia clássica com a Clarinha. Quando twittei que estava vendo O Império Contra-Ataca sábado de noite algumas pessoas lembraram do pai que filmou os filhos vendo “a revelação” do filme pela primeira vez e que eu deveria fazer a mesma coisa com a Clara que tinha declarado na véspera que “Star Wars é meu filme de adulto preferido”. (minha geração chama os filmes de Guerra nas Estrelas, a dela de Star Wars)

O problema é que o nível de atenção dela não é grande e, confesso, na hora dessa cena tivemos que segurar ela no quarto porque ela já estava a fim de ir fazer outra coisa (note o material de desenho em volta dela). A reação dela foi completamente inesperada e achei tão engraçada que subi no YouTube assim que o filme acabou. Mal sabia eu que ontem a Band ia passar o filme de noite e espero que outros pais tenham feito a mesma coisa. É quase tão importante quanto filmar os primeiros passos do seu filho. 😎

A transformação está completa

Dizem que pesadelo de pai carioca é ver sua filha virar paulistana. Eu não ligo, claro, e as piadas estilo choque-cultural são legais.

A última:

— Ai… ai…

— Que foi, filha, um mosquito te mordeu?

— Não, um pernilongo me picou.